quarta-feira, 25 de novembro de 2009

(O Inverno à porta…)






(O Inverno à porta…)

Vinha lá o Inverno - ouvia-se zoar muito a ribeira, e a Serra da Estrela mostrava desde a antevéspera os corutos emaçarocados de neve. E a chuva já estava em atraso, o grão por grelar na terra esmilhenta, onde os borborinhos faziam espojadoiros pasmosos de lobisomens. (…)

O sol ficava em casa de Deus, e os dias tinham a tristura das igrejas em semana de endoenças. Pelos morros, os pinhais, muito crestados da canícula, pareciam procissões de enterro, paradas a rezar.

O grande cão entrava sempre assim, enfarinhado de cinzas, manso, com a capa de penitente. Depois rompia aos uivos que nem cem matilhas a um lobo. Por aqueles outeiros arriba era o soão quem mais bramia, parecendo ora vozes a pedir misericórdia, ora bocas desdentadas de feiticeiras em despique danado. Os seres vivos acoitavam-se nos refolhos; raro uma lebre largava diante dos gados, animando a devesa imóvel de sua fuga alerta; um mocho, ao alto de uma penha, com a cabeça recolhida entre as asas, tinha o ar de quem espera o fim do mundo.


- AQUILINO RIBEIRO, Terras do Demo, ed. 1963, pp. 175-6.

4 comentários:

  1. Aquilino ribeiro( boa escolha)...A tua sensibilidade deixa-me estupefacta dia para dia...Gostei do brnaco das fotos, daquele trio por entre as árvores que mais parece mesmo tirado de um conto de fadas...
    Um beijo e um bom fim de semana;)

    ResponderEliminar
  2. ...lindas... sobretudo para quem como eu, só conhece a Lapa de Verão...sobretudo a foto das árvores
    ZC

    ResponderEliminar
  3. Estou sem palavras... as fotos deslumbrantes e o texto do Aquilino, formam um quadro poético lindíssimo...

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Belissimas fotos com um manto branco do Inverno acompanhadas por um texto muito bem escolhido, abraço

    ResponderEliminar