segunda-feira, 23 de maio de 2011






Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.
Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

O meu Pai dizia que morre o dono, falha a vinha ficarão as oliveiras.
As fotografias são dedicadas a ele, estas árvores foi ele que as plantou, são também uma forma de continuidade da sua vida.




2 comentários:

  1. Tu honras as aspirações mais profundas do Pai...Ele está sempre contigo.

    ResponderEliminar
  2. Nuno,
    Subscrevo as palavras da(o) “Anónimo” que nós sabemos quem é!
    Surpreendeste-nos com o ramo que lhe ofereces-te e, seguramente, irás surpreender-nos com muitas outras coisas ao longo dos tempos…
    Um abraço e obrigado pela bonita dedicatória que fazes ao pai.

    ResponderEliminar