domingo, 26 de junho de 2011

1930-2011 - Na Taberna do Aleixo, Ponte do Abade - Sernancelhe


Fundada no dia de S Martinho de 1930, a taberna Aleixo passou do Pai Aleixo para o filho que conta com 90 anos, a crise também está a afectar esta casa quase centenária que noutros tempos foi a mais importante casa comercial da região, contava com serviços de correios e transportes, taberna, mercearia e bomba de combustíveis


Da esquerda para a direita o moinho de café manual, a primeira máquina de café que funcionava com uma lamparina de petróleo, a balança, o doseador de azeite e o de petróleo.


Pois é o Aleixo fundador projectou esta bela casa no ano de 1930, como poeta que também o era deixou dezenas de poemas seus  nas paredes desta casa, pintados á mão pela casa Lusitana de Coimbra.

Em vez de longos caminhos
para praças estrangeiras.
É melhor beber os vinhos
e exportar as bebedeiras.

Aleixo


Amor e carinho
Tudo vence...


Licença para venda de tabaco a retalho de 1974 e um velho Kentuchy ainda a 3.00escudos

O telefone da Camara de Sernancelhe éra o 55103




E a velha Bomba de combustivéis.

Se passarem por Ponte do Abade vão visitar o Sr. Aleixo, vale mesmo apena...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

“São Pedro Patriarca” do Mosteiro de São João de Tarouca





Como muitos outros artistas que trabalhavam em Portugal, Grão Vasco estava informado acerca da melhor pintura estrangeira da sua época, nela colhendo ensinamentos díspares que o seu talento soube harmonizar e seleccionar. Interessou-se menos pela arte italiana do que pela alemã. Há figuras das gravuras de Albert Durer que aparecem em algumas das suas pinturas, nomeadamente a célebre “Melancolia” que inspirou a figura de Maria do quadro “Jesus em Casa de Marta e Maria” (Viseu, Museu Grão Vasco), realizado cerca de 1530.
Também realizado cerca de 1530 é o “São Pedro Patriarca” do Mosteiro de São João de Tarouca, onde teve a colaboração de Gaspar Vaz, também de Viseu. Aí estão já definidos o tema e a estrutura do “São Pedro” de Viseu: a composição simétrica apresenta o fundador da Igreja sentado num trono em posição frontal, olhando para nós, abençoando com a sua mão direita enquanto a esquerda segura o báculo; assente nos seus joelhos encontra-se um livro sagrado aberto; de um lado e do outro do trono, dois janelões deixam ver paisagens onde se evocam cenas da vida do Santo. Mas o quadro de Tarouca é mais goticizante, mais brilhante o seu colorido acompanhado pela iluminação que vem da esquerda do observador, ao contrário do quadro de Viseu, com iluminação vinda da direita, marcação de sombras projectadas (a do próprio Santo na parede interior do nicho) e volumetria da figura humana mais ligada ao espaço arquitectónico do trono.

 http://e-cultura.sapo.pt/DestaqueCulturalDisplay.aspx?ID=598

quinta-feira, 9 de junho de 2011