sábado, 28 de janeiro de 2012

De ano para ano, de videira em videira lá andava o João pelo seu Carregal.


Nos ultimos meses de vida quando tinha um bocadinho de força, dizia:

- Dá cá as botas que estão de baixo da cama, trás as tesouras, estamos aqui todos sem fazer nada!
- Mas o pai nem sequer pode andar.
-consigo, consigo deixate de brincadeiras e dá cá aquelas calças...

 De ano para ano, de videira em videira lá andava o João pelo seu Carregal.

Hoje da-me algum prazer continuar a tratar o que me deixou, sei que esta comigo na fila das videiras que se seguem.

2 comentários:

  1. :)

    ...e olha para os teus passos com grande satisfação! Nós também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mãe disse que gostou muito e chorou,
      eu não tenho palavras…
      Um abraço forte,
      Arménio

      Eliminar