sábado, 31 de março de 2012

Rio Paiva pode perder título de rio mais limpo da Europa


O rio Paiva pode perder o título de rio mais limpo da Europa, caso não sejam tomadas medidas urgentes quanto às descargas de esgotos por parte de estações de tratamento de águas residuais (ETAR’s) no Vale do Paiva, alerta a associação SOS Rio Paiva.


quinta-feira, 29 de março de 2012

domingo, 25 de março de 2012

Rio Vouga




Ontem  fui passar a tarde com este velho amigo, senti que estava mais fraco embora não lho tenha dito...

sábado, 17 de março de 2012

o velho bébé e a bailarina que roda numa noite feliz.



O velho bébé e a bailarina que roda numa noite feliz.

Tia Maria da Luz


O tempo que eu passava naquela janela  na esperança de avistar o teu pai lá ao fundo na regada.
Por vezes era tarde quando vinha, ficava preocupada...  
Quero agradecer á minha Tia Maria da Luz por tudo o quanto nos fez, Muito Obrigado.

Pendilhe Vila Nova de Paiva


Hoje passei por Pendilhe de Vila Nova de Paiva, uma aldeia encantadora que não tenho palavras para descrever o que hoje por lá senti. Sons como os de crianças no recreio da escola misturados com o bater da  inchada no cavar as hortas, grupos de mulheres a semear sementes na terra, pássaros a chilchiar, o galo com o seu imponente canto, rebanhos de cabras e vacas tudo misturado! e la em baixo a ribeira a correr enfim uma sinfonia que me deixou completamente maravilhado. Vi hortas com o cebolo plantado, as couves verdinhas, árvores a florir. Acenei de longe, ouvi boas tardes falei com as gentes. A aldeia continua viva...



sexta-feira, 16 de março de 2012

Alminhas


As Alminhas são padrões de culto aos mortos, pequenos altares onde se pára um momento para deixar uma oração ou reflexão sobre a morte ou a vida.


sábado, 3 de março de 2012

E no fim do dia a chuva voltou...


E no fim do dia a chuva voltou...


Nas margens do Távora







No ultimo inverno não choveu, o leito do rio é como aquele que existia antes da albufeira, ao ver a Ponte Romana de Freixinho ouço o barulho de fundo das carroças de rodas de ferro do Império de Roma, durante séculos passavam as margens do Távora.
Há pouco tempo vi uma fotografia deste local onde as mulheres lavavam a roupa nas águas límpidas deste rio, era também aqui que os namorados passavam algum tempo a contemplar o amor e a paisagem ao som da corrente do rio, entre estas duas épocas a paisagem pouco  mudou.
Um dia recente, as coisas mudaram a chuva deixou de cair o som de fundo era de uma mota serra a devastar todas as árvores da margem, no mesmo instante em que a obra de arte ruiu e a corrente do rio nem sequer se sente...