sábado, 3 de março de 2012

Nas margens do Távora







No ultimo inverno não choveu, o leito do rio é como aquele que existia antes da albufeira, ao ver a Ponte Romana de Freixinho ouço o barulho de fundo das carroças de rodas de ferro do Império de Roma, durante séculos passavam as margens do Távora.
Há pouco tempo vi uma fotografia deste local onde as mulheres lavavam a roupa nas águas límpidas deste rio, era também aqui que os namorados passavam algum tempo a contemplar o amor e a paisagem ao som da corrente do rio, entre estas duas épocas a paisagem pouco  mudou.
Um dia recente, as coisas mudaram a chuva deixou de cair o som de fundo era de uma mota serra a devastar todas as árvores da margem, no mesmo instante em que a obra de arte ruiu e a corrente do rio nem sequer se sente...



Sem comentários:

Enviar um comentário