quarta-feira, 22 de outubro de 2014

De manhã, aquando o sol abaixo da linha do horizonte.


De manhã, aquando o sol  abaixo da linha do horizonte.



13 comentários:

  1. SEM LINHA

    De manhã, o meu corpo pede algo quente:
    o sol tórrido das tuas mãos, a acariciar
    um chá só para dois, de sabor oriental
    um pão acabado de fazer, para nos deliciar
    um beijo prolongado e húmido, a endoidar
    um abraço vertiginoso, lento e suculento
    o vaivém do meu ventre escancarado
    em múltiplos espasmos, aconchegados
    onde o horizonte se perde, desvairado.

    Não há nenhuma linha, limite, que resista
    a este intenso vir de ti, que se diluí em mim
    ao som da dança dos astros no etéreo espaço
    porque tu és, sem dúvida, princípio, meio e fim.
    Que estranho! Ontem à noite, imaginem
    o meu corpo pediu carícias, exigiu beijos
    toques de língua afiada, hirta e treinada
    para os muitos poros gelados, em pranto
    que estavam esquecidos em mim, há tanto!

    Autora (eu)


    que degusto, como se fosse a tua boca
    em tragos leves, assumidos e largos.

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que acordei antes do sol nascer,
    Fui a tempo de ganhar em troca dos mais belos presentes que alguma vez recebi.
    Um dia quando editado um dos seus livros, direi a quem estiver comigo, este poema tem qualquer coisa de cumplicidade com uma fotografia que um dia fiz. Aquando o sol abaixo da linha do Horizonte.
    Farão também as linhas abaixo parte do mesmo?
    Beijos meu amor de amiga.

    ResponderEliminar
  3. Olá, querido amigo Nuno!

    Mas que trapalhada e apresentação são estas? Dois versos do meu poema, ali, em baixo, desgarrados. Culpa minha, claro, mas eu explico. Eles faziam parte do poema, só que depois retirei-os, por casa da métrica do mesmo, que, mesmo assim, não ficou lá grande coisa. Devia tê-los apagado, pke assim não faz sentido nenhum, mas esqueci-me. SORRY!

    Cada linha de um poema, chama-se VERSO e o conjunto dos versos chama-se ESTROFE, portanto, este poema tem duas estrofes com nove versos cada.

    Fez-me rir e pensar, acredite, mas as palavras têm este efeito. Parece que se tornam reais, e k "nós" somos os protagonistas. O belo "presente" foi dado de mto boa vontade.

    Que giro! O Nuno faz uma foto e eu depois faço um poema a partir dela. SE eu, algum dia, lançar um livro, está convidado para o ilustrar com desenhos feitos por si e não fotos. ACEITA? Se houver lucros, serão divididos, fifty fifty, ou melhor, podem ser 70 para o Nuno e 30 para mim O k tenho chega-me e ainda me vai sobrar.

    Pode dizer à vontade, pke foi CUMPLICIDADE MINHA ASSUMIDÍSSIMA. O que escrevi faz PARTE E É UM TODO do mesmo, da tal linha, do tal sol, do tal horizonte, da "minha" perda, com entrega. O importante foi a reciprocidade e a sintonia FOTOGRÁFICA E POÉTICA, k houve, e olhe que não é nada fácil.

    Abraço com limite e com tempo.



    É bom acordar, despertar para o amor cedo, ou seja, de manhãzinha e não aos 14/15 anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal foi um erro de composição, eu a pensar que estes dois versos nada tinham a ver com a Céu escritora, mas sim com a Céu real. :)
      ACEITO, mas os meus desenhos...
      Comprarei um conjunto de lápis novos e começarei a desenhar em breve, depois apresentarei a fatura, é apenas isso que tem de me pagar.
      Acredito que não terá sido fácil, é lindo esse seu poema.
      Um abraço intenso, com amizade.

      Eliminar
    2. Por vezes, as "Céus" confundem-se.
      Ok. Eu pago a fatura.
      Obrigada. Penso fazer poemas melhores.

      Igualmente, meu amigo!

      Eliminar
    3. Pensou k fosse real? Olhe k este pessoal k escreve, refiro-me aos escritores/as, não "bate" com os tempos todos. Eu, como não sou escritora, APENAS, escrevo umas "coisinhas", ainda vou tendo tino e conseguindo distinguir o real do virtual, mas é preciso um "jogo de cintura" descomunal, sem dúvida.

      Sei k já respondi a este seu comentário, mas faltava-me dizer-lhe isto.

      Um dia feliz.

      PS: e agora lá tenho eu k digitar aquelas duas palavras, mto impercetíveis e com letras k tanto podem ser um "u" como um "v", por exemplo. Ontem, e para lhe deixar um dos comentários fiz quatro tentativas. Vamos lá a ver, hoje, o que me espera.

      Eliminar
  4. Boa noite, Nuno!

    La ficou outra vez uma frase no fim do poema, meia perdida, por culpa minha. Tenho de ter mta atenção, pke os erros não se reptem são burrice, portanto demonstram falta de "inteligência".

    "Espero" pelo Nuno, "esta noite", ainda. Sim? Estou, calmamente, em casa, como sempre.

    Até logo.

    ResponderEliminar
  5. Mas que frase? parece tudo tão perfeito!

    Não espere por mim esta noite Céu, estou longe, muito longe, hoje não é a melhor das noites.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A seguinte: "É bom acordar, despertar para o amor cedo, ou seja de manhãzinha, e não aos 14/15 anos".

      Em termos poéticos, NUNCA, uma coisas destas, uma distração de tamanha ordem, pode ser perfeita. É inconcebível, mesmo.

      Sei k tb já respondi a esta sua conversa.

      Eliminar
    2. Aqui dei uma resposta, Nuno! Não reparou?

      Eliminar
  6. É quase perfeito.

    Eu sei k está longe, mto longe. Eu falei metaforicamente. Nem tudo é tão linear, da minha arte, como parece.

    Não se sente bem? Deixa-me a pensar, pke a noite é mto grande e .........................

    ResponderEliminar
  7. Sim esta tudo bem, hoje a noite é bem maior.
    Deixe a chave no sitio de sempre.
    Não sei a que horas chego.
    Prometo não acorda-la!
    Deixarei um beijo e regressarei antes do sol nascer.
    Boa noite Céu.

    ResponderEliminar
  8. Pois é Nuno, e a hora até atrasou para "beneficiar". Depois, do "benefício", fica nas mãos um bocadinho, um pouco mais k nada, dizem, mas hoje é outro dia. Vamos preenchê-lo de mtos TUDOS!
    "Deixei-a", logicamente, e para a próxima nem é preciso relembrar-me, mas obrigada, na mesma.
    Chegue qdo quiser, pke eu estarei por aqui, "esperando-o", e quem sabe, talvez venha mais cedo do k pensa.
    Pode "acordar-me" se eu não estiver já acordada, porque não tenho mau despertar. Os meus humores são mto constantes. Acordo como adormeço: serena, esperando um novo dia e com mta vontade de viver.
    Obrigada. Retribuo-o. Eu sei k virá antes do sol nascer, porque gosta de pão acabadinho de fazer e de um chá só pra dois.

    VIVAS À VIDA! OBRIGADA, DEUS NOSSO!

    PS: desculpe as abreviaturas, mas tenho de poupar as minhas mãos.

    ResponderEliminar