quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

20 de julho de 1969


10 comentários:

  1. Nuno, o ano de 1969 foi marcante para a humanidade pela chegada o Homem à lua...
    Marcante é também este teu blog!
    Porquê o nome "LUZ VAGA"?

    ResponderEliminar
  2. Olá, Nuno!

    Tão gira! Em casa dos meus pais havia uma mto semelhante.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Boa Noite, Arménio.
    Nasceste em 69, certo?
    Tem a ver com momentos, períodos de tempo, instantes, todos eles vagos, de luz que tenho vindo a registar.
    1 abraço.

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde, Sr. Engenheiro, Nuno Correia!

    Deus queira k aí esteja melhor dia do k tem estado em Lisboa, pke a humidade aqui deve rondar os 99%, e parece k está a chover. Há uma cacimba intensa e um nevoeiro sebastiânico envolvendo a cidade, tudo e todos. Sol, nem vê-lo, segundo li, hoje, amanhã e depois.
    Apetecia-me voar, mas não tenho asas, e nem me chamo Ícara, e ainda por cima, tenho medo de andar de avião. Pois, então, o melhor mesmo é ficar no cantinho da minha casinha.

    Bem, teve tanto trabalho e gastou tanto tempo a ler o meu "erudito" e vastíssimo comentário de ontem, k nem resposta me deu. Não sou caso virgem, eu sei, pke tratava-se afinal de uma informação k lhe comuniquei, de uma constatação, portanto nada a acrescentar da sua parte, pke 2+2 são sempre quatro, ou não são?

    Quero dizer-lhe k não sou nada distraída, bem pelo contrário, e k faço sempre, e antecipadamente, juízos de valor, julgamentos, avaliações de coisas e sobretudo de pessoas, e pra MIM, a chegada do homem à lua não me disse rigorosamente nada. Era pequena, bem sei, mas decerto já borbulhava em mim o desinteresse pelas ciências exatas. Qdo necessário, refiro e explico mto sucintamente o Facto Histórico, e passemos à frente, k atrás vem gente. Ainda não dei por nada de importante que tivesse resultado da chegada do homem à lua. Alguns astronautas morreram na viagem ou lá, mas, qto ao resto, ainda não vi nenhuns resultados benéficos para a evolução da Humanidade. Claro k estas minhas afirmações são mto discutíveis, mas da discussão nasce a LUZ, k neste caso NUNCA seria VAGA, embora não seja nem teimosa, nem orgulhosa, nem lapa (claro k não estou a falar da sua Lapa).

    Gostei k aparecesse um comentador por estas bandas, e ainda por cima, da família continental apelidando o seu blogue de MARCANTE. Mas antes, não era? O adjetivo do título, um dia destes, vou "comê-lo", e depois vai dar-me uma "tareia" de rosas.

    1 beijo ("enganei-me", desculpe, não é assim, mas sim, Um beijo).

    ResponderEliminar
  5. Boa noite, Céu.
    Aqui esteve um dia frio, frio como todos os outros.
    A chegada á Lua como reconhecimento de poder entre nações dominantes, neste caso os EUA ganhou a luta e domina a guerra no planeta, deviam eles canalizar o dinheiro gasto no desenvolvimento de tecnologia e armamento em causas mais importantes para a Humanidade, concordo.
    Apareceu e está sempre presente quando é preciso, é o meu Irmão Arménio.
    Um dia destes abri todas as mensagens deste Blogue, fiz uma viagem ao meu passado, encontrei um tipo sempre sozinho que não sabe nem pode viver de outra forma, Momentos marcantes, a primeira meia maratona, a chagada a França no Norte de Portugal, a Sagres recentemente. Conclusão tenho de preparar uma grande viagem de bicicleta, faz todo o sentido, só assim a luz deixará de ser vaga.
    Céu, olhe para o seu passado e pense em felicidade para o futuro.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Boa noite, Nuno!

    Sabe k eu estou SEMPRE perto de SI, virtualmente, mas estou mesmo.
    Claro k estamos no inverno, e em Paris, ainda por cima, está mto frio, mas eu entendo mto bem o k quis dizer, mas 6ª feira próxima já sentirá mais calor, em todos os aspetos, tenho a certeza.
    Sim, sei k é o seu irmão Arménio, Professor, cujo blogue já visualizei algumas vezes, e acho que ele é tão natural qto as fotos k faz e publica. Tem tb o hobby da fotografia e as características de quem nasceu e viveu na Beira Alta.
    Atenção, k não quero dizer k são negativas, mas são mto próprias daquela gente. O nome k ele deu ao blogue está de acordo com o k posta, mas é "AGRESTE", e eu gostaria tanto, pke afinal ele é seu irmão, k ele lhe desse um título mais soft, mas sempre em consonância. Naquela fotografia com boina, está mesmo patusco. Está lançado o repto.
    Sabe, "meu amor", nós somos fruto, resultado do local onde nascemos, dê lá por onde der, e sentimo-nos orgulhosos por esse facto. Como sou mto sincera e frontal, tentando, todavia, não melindrar ninguém, mas se me perguntasse se me via a viver na Beira Alta ou numa província a norte do Tejo, naquelas casas, naquelas paisagens, naquela "rudeza", responder-lhe-ia, sem hesitar, NÃO, NÃO, DESCULPA!
    Eu já vi o seu blogue de norte a sul, de este a oeste, mas, decerto k o Nuno, o conhece melhor k eu. E agora por isso. Estava apaixonado no dia 15 de julho deste ano? E aquele carrossel? Tão agarradinhos!
    Bem, sempre vai "roubar" uma daquelas duas bicicletas, e partir por aí, sem destino, como diz, à procura, talvez, da sua cara metade, mas tb diz no seu blogue, k em parte alguma do mundo ninguém encontrará a cara metade. Qual metade, qual quê. Procure e "exija-a" INTEIRA, Totalmente SUA. É disso k precisa, mas ela tem de ter poder de encaixe, versatilidade e inteligência. Toda a sua família ficaria mto contente e a mamã Filomena (penso k não me enganei no nome) diria: agora, e qdo Deus entender levar-me, irei em paz.
    A viagem ajuda, mas não é tudo. Percorrer, percorrer, sentir-se livre, cansar até mais não (isso faz-se com os miúdos e com as pessoas hiperativas, nas quais não me incluo, para k elas extravasem e se sintam calmos), pke mtas vezes diz no seu blogue que está preso, k se sente acorrentado, e pergunta mesmo: ATÉ QDO?
    Já lho afirmei, e repito, a LUZ deixará de ser VAGA, mas essa resposta só Deus a conhece, tal como a sua forma de libertação e qdo tal irá ocorrer (até parece k sou uma católica beatíssima e mega praticante).
    Meu querido Nuno, a sua frase final fez-me pensar e repensar. Tive um passado mtooooooooooo feliz, embora os problemas de saúde da minha mãe, os do foro psiquiátrico, não fossem fáceis para uma menina e para uma adolescente. Ela sofria do "Grande Mal", Epilepsia, e em fase aguda, todos se afastavam, e até o meu pai saía de casa, qdo ela era acometida por um ataque. No entanto, ela não ficava sozinha. Ficava eu, k com a minha pouca idade, pouca força e ela com a descomunal força k caracteriza esta doença, nos "entendíamos". Tinha de afastar TUDO o k estava à volta dela, objetos cortantes, coisas pesadas, e na ausência desses, tentava morder-se ou aleijar-se com a sua própria roupa. Então, deitava-me sobre o corpo dela, prendia-lhe as mãos, e ela começava a ceder, inconscientemente, e ia-lhe dando, ao mesmo tempo, muitos beijinhos, mtossssssssssssssssssssssssssssss, mtosssssssssssss, acariciava-a e tapava-lhe, levemente, e com ternura a boca com a minha, enquanto as minhas mãos estavam a segurá-la. As forças dela iam-se perdendo, naturalmente. Nunca me fez sequer uma arranhadela. Qdo voltava a ela, não se lembrando do k tinha feito, perguntava-me, e essa era a sua grande preocupação se me tinha feito mal. A minha resposta era um sorriso e mais beijos. Vivi neste ambiente quase 30 anos, mas não tenho nenhumas sequelas.

    PORTANTO, O MEU FUTURO SÓ PODE SER AINDA MELHOR E MAIS FELIZ:

    Um beijo e muitos abraços, com afeto.

    ResponderEliminar
  7. NÃO PUBLIQUE, P FAVOR!

    NÃO PUBLIQUE!

    Nuno,

    Já não temos de digitalizar números, nem palavras qdo deixamos comentário, aqui. Que bom! já sei, pronto. Foi a minha prenda de natal. Tão fofinho e querido! Leva tempo, mas faz, e o importante é fazer, mesmo k pareça k nem ligou.
    baisers.

    ResponderEliminar
  8. Boa noite, Céu.
    É sempre assim, as nossas raízes,a forma como somos, a nossa cultura é o reflexo da terra de onde vimos, Aquilino Ribeiro é meu conterrâneo, Miguel Torga é vizinho, são as Terras do Demo, agrestes, simples, mas encantadoras, nunca eles também conseguiram ficar longe da sua terra.
    É capaz de vez em quando fico apaixonado, depois passa.
    O objectivo não é passear, muito menos encontrar alguém é mesmo viajar.
    Gostei da forma como descreveu os seus dias com a sua mãe, agora entendo de onde vem essa força.
    Esses momentos e outros serão recompensados.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  9. Com que então "patusco"!
    Um beijinho para a Céu e um grande abraço para o meu irmão mais novo.
    Já agora, votos de Feliz Natal e um Bom Ano 2015!

    ResponderEliminar
  10. Dá-me licença, Nuno?

    Olá, Arménio!

    Constato que, de vez em qdo, vai passando pelo blogue do seu irmão mais novo (até pode passar, com frequência, e não deixar nada escrito. Não faz mal, pensamos todos, pke fica no coração, e isso é o mais importante). É gratificante e muito agradável, termos familiares e amigos/as mesmo k virtuais, deixando nos nossos blogues umas palavrinhas, uns "quereres", ou mesmo umas saudáveis "provocações".

    Patusco, pois, reafirmo. Está natural, e a precisar de quem lhe respondesse à pergunta que formulou. Todos precisamos de pequenos mimos, internos e externos, k nos sabem tão bem, nos alegram o olhar, e o "aGreste" não é exceção (falo do nome do seu blogue, claro).

    Agradeço e retribuo o beijinho.

    Nuno,

    Agora consigo e para si. Estou aqui, no sítio do costume, embora haja um oceano a dividir-nos.

    Dias muito felizes e com muita alegria.

    Beijo.

    ResponderEliminar