quinta-feira, 31 de março de 2016


3 comentários:

  1. Olá, Nuno!

    Como e onde está? Eu estou igual e normal.

    Quase sete meses sem publicar. Vamos lá continuar, "a gente não vai parar", pke tenho mtassssssssssssssssssssss saudades das fotografias, que faz e dos textos pequenos e dóceis, que escreve. Gostaria, que voltasse. Pode ser? Posso pedir? Aceita?

    Estamos no outono no Hemisfério Norte e agora pode trocar a estação do ano por uns olhos, k já conhece. Sim?

    Estou à sua espera, Nuno! Nós fazemos o amanhã, sem timings, é certo, mas basta ter vontade, querer.

    Se voltou para a cidade luz, então, digamos juntos: JE T' AIME.... PARIS!

    Beijos com saudades.

    ResponderEliminar
  2. Olá, Nuno!

    Estou esperando (escrito ao modo do Alentejo) uma luzinha daí, mesmo vaga. Basta um olá. Acredite que um monossílabo, já quase me preenche.

    Vou/vamos pensar k está em França! Sabe, meu querido Nuno, eu acho que está na cidade luz. Será intuição minha ou realidade?

    Talvez o seu mutismo, outra hipótese, se deva ao facto de a sua nova namorada ser ciumenta (não vejo o Nuno a "obedecer", talvez, no máximo, a esclarecer), mas diga-lhe, por favor, que deste lado, sopram, sempre sopraram ventos cálidos, brisas do sul, k nunca fazem estragos, nem separam ou influenciam nada nem ninguém.

    Posso pedir-lhe um favor? Sim! Ok. Então, lá vai! Passe, qdo lhe for possível, em La/Martinne (será k está bem escrito? Depois, diga-me, p favor), mais propriamente pelo Carrefour e compre para ambos, uma caixa com 2 caracóis, bolos. Custam 1,65£. Podemos depois degustá-los, virtualmente, nas Galerias La Fayette, lá em cima, no terraço, caso não esteja mto vento. Está combinado? Posso contar com o Nuno? Aguardo resposta.

    Je vous embrasse!

    À toute á l' heure!

    ResponderEliminar
  3. Olá, Céu.
    A estrela em frente, ao meu lado direito o Montemuro, nas minhas costas fica o Marão.
    Nos vales e montes conde corre o Vouga, o Mondego e o Douro
    São daqui as minhas raizes
    Vá para onde for é aqui que volto sempre.
    Do Sul as brisas trazem mensagens que me deixam sem palavras
    Em Portugal.
    Beijos Céu

    ResponderEliminar