segunda-feira, 3 de abril de 2017

Sem dar por isso



Vamos de mãos dadas á procura das paisagens com que nos identificamos,
Tu fazes o enquadramento, escolhes o lugar no tempo, eu apenas disparo.
E assim sem dar por isso o tempo passou, a vida passou, sem dar por isso.



3 comentários:

  1. Olá, Nuno!

    Gosto do título, gosto, muito, muito!

    A fotografia está tão mimosa, tão menina, que até apetece andar por ali.

    Ainda bem que as suas mãos e as dela se encontram, se aninham e se entendem, "sem darem por isso" e depois, o Nuno dispara um click, um abraço e um beijo, já k ela fez o "trabalho" quase todo. É justo, acho.

    É natural que, neste clima de amor e entendimento, o tempo passe e qdo estão uma tarde, um dia juntos, nem dão por isso, pke tudo vem de dentro, e ela não é mais uma.

    Beijos e boa semana.

    ResponderEliminar
  2. De vez em quando, de muito em muito tempo, admito que gosto de uma fotografia que fiz.
    Esta em especial faz lembrar-me a tela que nunca pintei.
    Podia ser o meu autoretrato, está tudo lá e não está lá nada.
    Um clima de amor e entendimento sem mentiras ou traiçoes, não é mais uma, outra qualquer, eu e tu solidão...
    Há coisas que temos de fazer a sós, escrever um poema ou uma musica, pintar uma tela ou fazer uma fotografia, talvez isso seja viver sem dar por isso. Beijos Céu

    ResponderEliminar
  3. Quem faz algo por gosto, acha que não está ainda lá mto bem, mas, concordo k "qdo o rei faz anos", a gente gosta mesmo do k fez.

    Fico contente por esta excecional foto poder ser tb uma tela pintada por si ou um autorretrato seu, onde parece haver desinteresse, indiferença, mas muita aproximação e ternura.

    Mentiras, traição? Então, tem de (se) "viver" com a senhora solidão? O mundo, as pessoas, não são perfeitas, como sabe, mas nós, k também fazemos parte desse mundo, queiramos ou não, e k não somos perfeitos, temos tb de fazer a nossa parte e de nada vale "meter a cabeça na areia" ou isolar-se, pke nem nós nos modificamos, nem o mundo se modifica. Os animais não falam, portanto, não podem opinar, dizendo: Nuno, não faças isso, Nuno, não faças aquilo, pke eles, embora sejam inteligentes, são irracionais e não têm maneira de o ajudar numa situação complicada, salvo raríssimas exceções.

    Sei de algumas pessoas k têm animais, e não são assim tão poucos, vivendo em apartamentos, k têm de tudo, visitas ao médico, regularmente, roupinhas par aconchega-los, objetos para se divertirem, comida própria, enfim, mas essas mesmas pessoas visitam os pais, de vezem qdo, 5 minutos no máximo, pke são chatos, fazem perguntas e são curiosos, ao contrário dos bichos. QUE INCOERÊNCIA!

    Eu, k adoro gatos, sou, considero-me antissocial e mto independente, tal como eles, contudo, vivo em sociedade, k critico, mas que, por vezes, "aceito", enfim, vou contornando a situação, mas vivendo à minha maneira, sem prejudicar os outros.

    Verdade, mas a maioria tem de ser com outas pessoas. O Nuno precisa do sapateiro, do barbeiro, do homem k lhe arranja o carro, de quem o atende nas lojas, de comprar comida e mesmo sendo o Nuno a tirar das prateleiras, tem de ir pra fila ou vai às máquinas, k fazem quase tudo por si, mas é o Nuno que tem de colocar os objetos em determinado sítio, pôr o dinheiro ou o cartão enfim, a máquina, NUNCA irá substituir o Homem, na totalidade.

    Todos os dias vivemos, umas vezes mais felizes, outras menos, mas isso é VIVER e dar por tudo, sem querermos.

    Beijos.

    ResponderEliminar