domingo, 16 de abril de 2017



Uma raiz que me agarra á terra, que me alimenta, que me mostra a verdade.
Que me diz, depois de cada inverno há sempre uma primavera enquanto existir vida.
Como as plantas nunca morremos completamente, há celulas numa raiz profunda que predura e mais tarde se transforma.


6 comentários:

  1. Respostas
    1. Diria surpreendido, em relação a agricultura, orgulhoso e agradecido deve estar da filha mais nova. Beijinhos xaninha.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Obrigado, vou tentar fazer mais relatórios fotográficos agriculas​ ao longo do tempo, para registar evoluções ou alterações das plantas ao longo do ano.

      Eliminar
  3. Coucou, c' est moi, Nuno!

    Não percebi bem o seu texto. Quer, por favor, explicar-mo?

    As raízes (serão raízes?) estão tão vivas e lindas nas fotografias!

    Beijos.

    ResponderEliminar