quinta-feira, 7 de setembro de 2017

PROCURO UMA COISA QUE NÃO TEM NOME.



PROCURO UMA COISA QUE NÃO TEM NOME. JÁ A ENCONTREI NA ÁGUA DE ALGUMAS CORREDEIRAS, NO TOPO E NA ENCOSTA DE ALGUMAS MONTANHAS, NAS NUVENS DE ALGUNS ARES, NO MATO FECHADO QUE GUARDA ALGUNS VALES. JÁ A ENCONTREI VÁRIAS E VÁRIAS VEZES - SÓ NÃO ENCONTREI SEU NOME. VOLTAREI À ÁGUA, AO AR, À TERRA, VOLTAREI ATÉ DESCOBRIR.

(AUTOR DESCONHECIDO)

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Rosalinda

PRAIA AREIA BRANCA 08.2017


Rosalinda
se tu fores à praia
se tu fores ver o mar
cuidado não te descaia
o teu pé de catraia
em óleo sujo à beira-mar

a branca areia de ontem
está cheiinha de alcatrão
as dunas de vento batidas
são de plástico e carvão
e cheiram mal como avenidas
vieram para aqui fugidas
a lama a putrefacção
as aves já voam feridas
e outras caem ao chão

Mas na verdade Rosalinda
nas fábricas que ali vês
o operário respira ainda
envenenado a desmaiar
o que mais há desta aridez
pois os que mandam no mundo
só vivem querendo ganhar
mesmo matando aquele
que morrendo vive a trabalhar
tem cuidado...

Rosalinda
se tu fores à praia
se tu fores ver o mar
cuidado não te descaia
o teu pé de catraia
em óleo sujo à beira-mar

Em Ferrel lá p´ra Peniche
vão fazer uma central
que para alguns é nuclear
mas para muitos é mortal
os peixes hão-de vir à mão
um doente outro sem vida
não tem vida o pescador
morre o sável e o salmão
isto é civilização
assim falou um senhor
tem cuidado